Dados históricos

Alguns Dados

O nome de Moinhos da Gândara pretende fazer recordar os moinhos de água e vento que existiam nesta zona “desde os princípios do século XIX, com a ajuda dos quais as pessoas fabricavam o seu próprio pão”.

É extremamente difícil de concluir com exactidão histórica quanto aos princípios da região onde a freguesia se insere. Porém, poderemos apontar como marcos históricos importantes a gestão e a dependência dos povos desta zona geográfica da QUINTA DE FOJA, situada na freguesia de Santana, a cerca de 8 Km de distância.

Aí imperaram durante séculos os denominados FRADES CRÚZIOS, pertencentes a uma conhecida ordem religiosa sediada no Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra, que geriam e administravam não só a Quinta do Foja, onde iniciaram a cultura do arroz, como toda esta região. Para isso, tomavam os Povos Vizinhos seus serviçais a troco de pequena soldada. As propriedades de toda a região eram dessa Ordem Religiosa, o que obrigava os habitantes dos povoados a pagarem a renda pelo amanho das terras.

Como pontos de referência desta gestão, temos ainda hoje algumas reminiscências, casos da Casa da Renda, situada no lugar e freguesia de Alhadas, e nome da povoação onde se situa a sede da Junta de Freguesia, Quinta dos Vigários.

Hoje, devido à constante fertilização dos solos e sistemas inovadores de rega, a terra é farta não o tendo sido em princípios deste século e até à década de sessenta, pelo que os indivíduos desta zona geográfica davam origem a cursos migratórios, primeiro para o Brasil, depois para a Comporta e Ribatejo, e na década de sessenta para os países europeus, nomeadamente França, Luxemburgo e Alemanha.

Deixe uma resposta